fbpx
MUSICBOX
Filtrar Eventospor data, mês e tipo...

Convidámos a malta da Casa Tigre – casa forte em arte, apparel e tatuagens – a escolher as suas peças de roupa essenciais. Aquelas que marcaram a sua vida e o seu estilo pessoal, e que sempre tiveram a sua profunda admiração. A Casa Tigre é Paulo Furtado (The Legendary Tigerman), Afonso Rodrigues (Sean Riley & The Slowriders e Keep Razors Sharp) e Luís Raimundo (mais conhecido como Rai, que pertence aos Poppers e Keep Razors Sharp).

A Casa Tigre vai fazer takeover à nossa pista de dança para uma noite de clubbing anticipado, que promete juntar punks, skaters, beatnicks e os misfits na pista de dança. Com eles para este DJ Set estará a turma da editora Pop Noire: Jehnny Beth (sim, a voz de Savages), Johnny Hostile (músico para Nick Cave e produtor bem reconhecido) e ainda Malvina Meinier, produtora, musica e compositora de música na linha de Sophie ou Arca. Compra já o teu bilhete.

Paulo Furtado 

Duas peças absolutamente indispensáveis para mim são o clássico perfecto negro da Schott, a marca icónica de NY usada por nomes como Marlon Branco (em de Wild One) ou Andy Warhol, entre tantos outros. Perfeito para andar de mota.

A segunda peça é a nossa já clássica t-shirt TIGRE 2020, o primeiro design que criámos para a Casa Tigre com o Bruno Pereira, o nosso main designer e quarto Tigre, símbolo da nossa resiliência e da vontade de lutar num ano tão avassaladoramente mau como o de 2020. E é badass as fuck!

Paulo Furtado e a já icónica t-shirt Casa Tigre 2020

Rai

Duas peças: A primeira, as Bell-bottoms, um tipo de calça que sempre fez parte do meu imaginário. Principalmente por terem sido usadas por ícones do mundo das artes ao longo dos anos 60 e 70. As bell-bottoms quando usadas com o sapato ou bota com o tacão certo, não falham. Desenhadas pela marinha americana, estas calças aparecem como uma peça de trabalho confortável e com algumas curiosidades. Se por exemplo o marinheiro caísse ao mar, a perna mais larga facilitava que fossem despidas dentro de água, para que pudesse ter maior liberdade de movimentos.

Um anónimo a usar as bell bottoms


Outra peça que faz parte do meu imaginário são as sapatilhas da Adidas. Onde cresci a única forma de estar perto das clássicas sapatilhas Adidas era através da vitrine de uma loja de desporto a caminho da minha escola. O fascínio era tal que que assim que recebi um dos meus primeiros ordenados, uma parte foi para comprar um par de Adidas Samba. Até hoje é uma das minhas escolhas óbvias.

Freddy Mercury num dos concertos mais memoráveis dos Queen a calçar Adidas Samba


Afonso Rodrigues

A primeira vez que vi umas Chelsea Boots devia ter uns 15 anos. Eram castanhas, em camurça. Ainda não sabia muito sobre o estilo das dezenas de ícones que as adotaram como uniforme, mas apaixonei-me e nunca mais as larguei. Ainda hoje, de todo o calçado que tenho em casa, o meu par preferido são umas Chelsea em camurça castanha compradas há uns anos em Lisboa.

Chelsea Boots para toda a gente
X