Quinta, 13 Outubro
21h00
Abertura de Portas às 20:30
  Os Black Wizards chegaram à cena no final de 2015 com seu álbum de estreia 'Lake of Fire'. Com o segundo da banda, What the Fuzz!, aclamado pela crítica, seguiram-se numerosas datas de tour e presença em festivais por toda a Europa. As suas performances ao vivo são conhecidas por serem uma intensa explosão de emoções com muita alma e, claro, muita penugem. Reflections, terceiro álbum de estúdio da banda e aclamado pela crítica, lançado via Kozmic Artifactz e Raging Planet, soa como um dia ensolarado e brisa fresca de batidas groovy e psicodelia, balançando entre momentos doces e delírios de fuzz maciços e está aqui para provar, não só a cena rock portuguesa está mais viva e mais forte do que nunca, mas The Black Wizards pertence a uma das bandas mais prolíficas e promissoras, e já se tornou a maior esperança da Europa em fuzz rock psicodélico e pesado! Os Black Wizards encantam com um som único de grooves fuzzadelic, e enquanto bebem das mesmas fontes que muitas das bandas contemporâneas ao redor, dão um novo toque em músicas ouvidas anteriormente e carimbam sua própria personalidade. Em Reflections, a banda cresceu sonoramente ao apostar na experimentação sonora sem nunca perder de vista as raízes nucleares de The Black Wizards.
Rosin de Palo (experimental power duo)  é o processo de busca da criança interior de Samuel e Mario, sem preconceitos ou fronteiras musicais. Um contrabaixo e um conjunto de percussão que caminham juntos baseados em grandes pizzicatos e ritmos impacientes, formados por dois alunos do Conservatório Superior de Música de Aragão. Um aglomerado de ideias e desejo de experimentar apoiado nos bastidores por Cosme Pelotillo (gestão de arte/colaborador) e Ruco Tapes (produção e som). Depois de terem feito parte de várias bandas (Begut the Band, Tovché...), orquestras clássicas (Euskal Herriko Gazte Orkestra, Orquestra Juvenil de Valência, Orquesta Zaragoza Symphony), Samuel e Mario formam Rosin de Palo, reunindo o melhor e o pior de cada um para criar seu próprio discurso musical, que toma a música clássica como ponto de partida ponto de partida e funde-o com novas sonoridades, na linha do que Mahler e Cecilio G, a toda velocidade no papagaio se fossem dois centenários saindo juntos para festejar. E daí atesta sua eclética lista de colaboradores e associados. Rosin de Palo abraça a ideia de que representações podem mentir, aplicando-o à sua estética e imagem audiovisual e apresentando uma proposta cênica cheia de explosividade e energia com um espírito performativo inegociável. Vencedores do concurso Ambar Z Music, eles fizeram turnês incansáveis, tocando em vários as principais cidades do estado (Madrid, Barcelona, ​​​​Valencia, Zaragoza, Huesca, Alicante, entre outros) e dividindo o palco com artistas como Novedades Carminha, Bejo, Ladies and Bedels, Karina Soro, Karl Frierson e Escaire.
Este é um concerto Liveurope: a primeira iniciativa pan-europeia que apoia salas de programação de música nos seus esforços de promoção de artistas emergentes europeus. O Liveurope é co-financiado pelo programa Europa Criativa da União Europeia.
X