Sexta, 20 Maio
22h00
Abertura de Portas às 21h30
Após quatro bem sucedidos álbuns, ao longo dos quais construíram a sua sonoridade ímpar, - nomeadamente, " FÆMIN" (2012), a trilogia "Liar" (split com Rorcal, 2014), e "Black Earth" (2017) – os PROCESSOFGUILT regressam com "Slaves Beneath the Sun", uma experiência sónica que eleva a sua música a uma nova dimensão de desolação e peso. "Slaves Beneath The Sun" foi escrito como um todo ao longo dos últimos dois anos e vê a intenção de PROCESSOFGUILT evoluir para uma rendição mais ambiciosa e fiel do que eles são a nível musical e pessoal.
Profundamente conectado ao processo de culpa que todos nós enfrentamos enquanto estamos na Terra, "Slaves Beneath the Sun" atua como uma viagem através da nossa própria culpa ao longo de seis faixas mais abrasadoras do que qualquer outra coisa que os PROCESSOFGUILT já tenham feito antes. Movendo-se de forma constante através de dinâmicas diferentes, a banda explora uma abordagem vocal mais diversificada, grooves como mantras, uma sessão rítmica esmagadora, um amor eterno por feedback e mais riffs enormes do que se pode pedir em menos de 45 minutos.
Para montar este beemote sonoro, os PROCESSOFGUILT partem exatamente do ponto em que deixaram o seu sempre crescente público com o último longa-duração, voltando mais uma vez à brilhante mistura de Andrew Schneider no estúdio Acre em NY (bem conhecido pelo seu trabalho com bandas como Unsane, Julie Christmas, Cave In ou Rosetta) e à masterização de Collin Jordan no The Boiler Room LLC - Music Mastering, em Chicago (Wovenhand, Eyehategod, Minsk... ), após o processo de captação realizado pelo talentoso Paulo Basílio nos Buzz Room, em Lisboa, assegurando assim mais um passo em frente na sua busca de purga sónica.
Em parceria com a Alma Mater Records, editora curada por Fernando Ribeiro (Moonspell), maio de 2022 testemunhará o tão aguardado lançamento do último marco sónico dos PROCESSOFGUILT, "Slaves Beneath The Sun".
X