Sexta, 8 Abril
22h00
Abertura de Portas às 21h30
No início de 2019, os membros de Imarhan começaram a construir um estúdio de gravação, o primeiro na sua cidade natal de Tamanrasset, no sul da Argélia. O grupo batizou-o de Aboogi, em homenagem às primeiras estruturas semipermanentes que os seus antepassados construíram quando estabeleceram vilas. Foi ali que começaram a desenhar e a gravar o primeiro álbum, naturalmente intitulado de Aboogi, tanto um aceno para o novo espaço coletivo que haviam estabelecido, como para a resiliência de sua comunidade.
A diversidade, beleza e lutas em Tamanrasset são refletidas nas canções de Aboogi. Seguindo o estimulante e eclético Temet (pela City Slang), Imarhan fizeram um álbum que é tão sereno e aberto quanto o deserto do qual emergiu. “Aboogi reflete as cores de Tamanrasset, o que experimentamos na vida cotidiana”, diz o líder da banda Iyad Moussa Ben Abderahmane, também conhecido como Sadam. “Damos espaço ao vento e às energias naturais, ao sol e à areia. Queremos expressar todas as cores através da música."
Aboogi apresenta colaborações com a cantora sudanesa Sulafa Elyas e Gruff Rhys dos Super Furry Animals. A comunidade Tamanrasset local também se junta ao primeiro registo, incluindo Abdallah Ag Alhousseyni de Tinarwen e o poeta Mohamed Ag Itlale, também conhecido como Japonais, um pilar da comunidade artística da cidade.
Embora a espinha dorsal da música de Imarhan seja baseada nos ritmos tradicionais e floreios das bandas de casamento Tamasheq e na música Assouf iniciada por Tinariwen, as canções de Imarhan são totalmente contemporâneas, fazendo uma ponte entre o passado e o futuro.
X