Quinta, 18 Julho
22h30
Ainda com um pé no Karma is a Fest e com outro no Bons Sons, Dada Garbeck apresenta-se ao vivo no Musicbox no dia 18 de Julho pelas 22h30.
Este concerto terá convidados especiais e será em formato banda. Na experimentação vocal e spoken word, Carlos A. Correia, fundador da associação Outra Voz e dinamizador de projetos relacionados com a voz e corpo. E porque experimentar não incomoda, Pedro Lucas estará presente na guitarra eléctrica. A fazer-se sentir estará também o baterista português mais requisitado desde o séc.XV, Ricardo Martins.
Dada Garbeck, também conhecido como Rui Souza, desenha camadas como sedimentos: cada loop inscreve-se na memória, e por lá fica enquanto os synths assentam em novas paragens, com novas texturas. “The Ever Coming” ouve-se num processo semelhante ao de cortar uma montanha e identificar-lhe as camadas, de cor em cor, de acorde em acorde, de progressão em sensação. Cada melodia anteriormente desenhada assenta e harmoniza-se com a próxima, criando a ilusão de sempre terem pertencido ao mesmo espaço, apesar de habitarem momentos diferentes.
Primeira parte: Phillip Rub é um californiano de San José e um pensilvano de New Jersey. O primeiro traz uma genealogia que o faz açoriano de terceira geração, vagabundo profissional e falador de português; o segundo renunciou a uma herança judaica, por falta de humor, e tenta frequentemente renunciar a uma misogenia crónica. Phillip é uma mulher celta de Galway, feminista moderada, amante de cerveja, que uma vez foi abordada sem grandes gentilezas pelo judeu da frase anterior e reagiu ambiguamente. Phillip é uma adolescente de Paris com gosto por moda clássica e por filósofos germânicos, é incapaz de chorar. É também um académico panteísta de 43 anos com uma queda para a observação de aurora burealis em países escandinavos. Uma vez cruzou-se com o californiano, que pedia boleia, e sentiu-se nostálgico. Phillip Rub é história dentro de estórias, que desabrocham sem principio ou fim aparente e que que acabam, geralmente, onde começaram. Rub é texto abraçado por guitarras rendilhadas que devem contas a música anglicista que, por si só, já deve contas ao resto do mundo. Vai de Cohen a Scott-Heron, de Nick Drake a Callahan, e não dispensa uma ocasional deambulação pelas 6 cordas. É uma criação de Pedro Lucas, guitarrista, compositor e produtor responsável pelos projectos Medeiros/Lucas e O Experimentar Na M'Incomoda.
X